Dia da Mãe

Sou mãe! Mãe de duas meninas lindas, mãe a tempo inteiro, de alma e coração, sempre. Haverá algo melhor? Não. Eu julgo que não. Só assim tenho o privilégio de passar uma tarde de sofá com duas princesas a rir, entre abraços e aconchegos.

O Dia da Mãe são todos os dias. Às mães, de sangue ou de coração, às mulheres em geral, relembro aqui um texto que li o ano passado. A todas Nós.

AS MÃES, AS MULHERES, OS BEM-ME-QUERES

Anúncios

O chumbo do João | iOnline

O chumbo do João | iOnline.

Dia-a-dia com princesas

Todas as manhãs são uma correria para ter as miúdas prontas a tempo e para eu própria estar vestida e arranjada e de pequeno-almoço tomado para depois levá-las às respectivas escolinhas!

Beijo uma e beijo outra, um “boa escolinha, amor” e um “até logo” formam o mote de despedida e sigo tranquila para o meu local de trabalho, o qual fica ainda a alguns bons quilómetros de distância. Vou para horas mais tarde voltar cheia de saudade das minhas princesas e morta por as ir buscar.

Já em casa nova correria se inicia: trabalhos de casa para uma, brinquedos para outra, banho para as duas, jantar para quatro. Após o “vamos para a mesa”, há o arrumar da cozinha e o preparar para deitar.

Deitar duas princesinhas é o meu momento especial a cada dia. A princesa mais velha pede-me que a aconchegue e, entre risadinhas, faz-me mil e uma perguntas recheadas de curiosidade e porquês: “Mãe, como é que o Mundo do começou?”. A mais nova não sabe ainda falar, mas os seus olhos e sorrisos tudo dizem. Aconchego-a também.

Boa noite meus anjos. Durmam bem. Amanhã outro dia virá.

princesa fada

Tudo o resto faz parte…

“Aproveita para dormir agora!..” – Tantas vezes ouvi esta frase proferida tão seriamente por conhecidos que mais parecia que mundo acabaria para quem não conseguisse dormir para além das 7h da manhã ou menos! Sim, é um lugar comum. Anunciamos que vamos ser pais e após o “parabéns” vem o tão famoso auguro.

Fui mãe pela segunda vez há 1 mês e meio. Divido os meus dias entre mudas de fralda, ajuda nos trabalhos de casa da mais velha, cozinhados e amamentação e não podia ser mais feliz. À noite (ou de dia) dorme-se o que se consegue. Cada hora mal dormida é amenizada pela doçura dos sorrisos das minhas filhas, pela energia da Mari quando chega da escola com mil e uma aventuras para contar, pelo o cheirinho da minha bebé, pelo som do respirar profundo quando dormem, pelo amor que me é dado. A cada dia existe algo de novo a aprender e a experienciar.

Pais e mães sabem que assim é: não existe no mundo maior tesouro que os seus filhotes.  Tudo o resto faz parte.

O melhor do meu dia de ontem.

Confesso que o melhor do meu dia de ontem foi o chegar a casa! Depois de um dia de trabalho e de uma cabeça cheia de vento, causada pela rinite que me visita de tempos em tempos, finalmente, vi-me à porta de casa com uma princesa ao meu lado e outra dentro de mim. Abriste-nos a porta com o teu sempre sorriso meigo e doce. Em casa estava agora depois de um beijo de boas-vindas. Entre conversas, risos e sons do dvd da Barbie, vou confeccionando o jantar. A minha princesa mais velha é a primeira a terminar e salta da mesa após permissão para o fazer. É uma sensação de prazer e vagar imenso que me enche enquanto termino o meu chá na tua companhia e ouço, de longe, as brincadeiras da Mari no seu quarto de princesa-fada-sonhadora.

Uma nova gravidez, um novo começo!

A 5 de Agosto de 2013, entrei numa nova fase da minha vida! Foi o dia em que soube que estava grávida, pela segunda vez. Embora o percurso daí para a frente não se avizinhasse como novo, uma gravidez nunca é igual à outra, é um facto! E as diferenças entre a gravidez da minha princesa Mari e a actual cedo se fizeram sentir: Não tardaram a chegar os enjoos e náuseas, os quais me acompanharam até às 10 semanas de gestação; O cansaço extremo e sonolência “atacaram” entre a sétima e a décima semana. Sentia-me literalmente um caco. A cada início de dia desejava que o final deste chegasse e pensava para os meus botões, entre chás de hortelã-pimenta e gengibre, se seria assim até ao final da gravidez. Fui afortunada por ser uma daquelas futuras mamãs em que o ritmo regulariza passado o primeiro trimestre. Agora compreendo as mamãs que têm que passar por doses de má disposição meses a fio! Comer torna-se um quase martírio, as mezinhas nem sempre resultam e qualquer regime alimentar é colocado de parte! Sinto que um bom conselho, não só para as futuras mamãs, é aprendermos a ouvir o nosso corpo, tentar perceber que comida toleramos melhor e relaxar, descansar o máximo que nos for possível. Resumidamente, aproveitarmos um dia de cada vez!