Bobi II, o cão sorridente.

Ainda me lembro o dia em que o fui buscar…. Era janeiro e, no aniversário da minha mãe, decidi oferecer o que viria a ser o cão da nossa casa. Tínhamos mudado de casa em julho do ano anterior e o quintal era suficientemente grande para mais um habitante.

Tinha ouvido falar de uma quinta que acolhia animais abandonados e decidi ir visitar. Não queria comprar um cão. Se existem tantos animais a precisar de um lar porque não adotar?

Assim que o vi soube que era aquele o meu novo amigo. Um cachorrinho preto, com cara, peito e patinhas cor de café com leite. Tímido e quieto.

Aos poucos a sua timidez e quietude transformaram-se em confiança e altivez. Era o dono das escadas da entrada, nas quais se sentava como de um trono se tratasse, observando a rua e quem dela se aproximasse. Ladrava muito a quem não conhecia e nem todos os visitantes eram merecedores da sua confiança.

Connosco era como um gato, encostando-se, de cabeça baixa, às nossas pernas na esperança de receber festas e mimos.  Recebia-nos de olhos vivaços e bola de ténis na boca, sempre a aguardar brincadeira.

Sentávamo-nos nas escadas junto a ele e o meu irmão ria-se perdidamente, pois o Bobi parecia sempre feliz, a sorrir com os seus olhos de “khôl” negro.

As minhas duas filhas nasceram com a presença do Bobi. E sim, era um cão feliz e adorado por todos nós. Foram mais de 13 anos de companhia. As saudades são muitas. Ficarás no meu coração sempre.

 

2016-09-06-13-09-32

Olá e Adeus Viagem!

aeroplane_weheartitOlá Viagem! Já te ando a planear, imaginar, sonhar faz algum tempo. Não sabes tu que o que mais planeio eu é o controlo dos meus sentimentos, da minha ansiedade e antecipação. Não, não tenho medo de andar de avião, se é isso que estás a pensar! Receio as saudades, a ansiedade de partir por alguns dias e deixar aqui, neste cantinho, os meus tesouros.

Tinhas tudo para dar certo! Serias uma Viagem a Dois para um destino fantástico. Porque tinhas que te tornar difícil? Penso e torno a pensar…Porquê? E se choram de noite e se chamam por mim? Se ficam tristes por não ver os pais um dia e outro e outro? Sim, eu sei que os avós adoram ficar com os netos. Elas ficam bem. Mas que vale tentar-me convencer a ir se o meu coração me manda ficar? Por isso, por agora…Adeus Viagem!

Não ir talvez não faça de mim melhor mãe. Não procuro nenhum prémio. Respeito apenas a minha consciência de mãe. Acredito que há um tempo para tudo.

Hoje é o Dia Internacional da Família!

Hoje é o Dia Internacional da Família e, a esse propósito, estive a ler as notas gerais sobre a conferência das Nações Unidas sobre este dia tão importante. Os objectivos estão lá. Mas, infelizmente, difícil será vê-los respeitados em todo o Mundo.

Não obstante, torna-nos conscientes da crescente necessidade de proteger os direitos das crianças e os deveres que uma família tem para com essas crianças, os adultos de amanhã.

http://www.un.org/esa/socdev/family/docs/IDF2015/backgroundnote.pdf

stick-figure-family

O melhor do meu dia.

O melhor do meu dia chega em duas fases: o antes e depois do trabalho. –  Com isto não quero dizer que o período temporal passado no meu local de trabalho seja mau. Sou feliz também por fazer o que gosto. – No entanto, o melhor, melhor de tudo está no acordar e no regressar! Adoro acordar todos os dias ao lado do amor da minha vida para, em seguida, ir acordar o meu outro amor: a minha princesa de olhos grandes e sorriso rasgado! Adoro de igual forma o regressar a casa, rever quem amo, partilhar uma refeição e descansar. Mais um dia se cumpriu! Sou feliz!

És tu.

Joana de Vasconcelos_Coração Independente Vermelho #1

Eu cá. Tu aí.

Eu cá, na província, terra de mouros, sol ardente, neste calor de braseiro entre as praias de cristal e a serra ondulante.

Tu aí, na cidade de gente de braços de ferro, naquela baía plantada entre um arco-íris de azul e verde.

Vivo entre linhas de asfalto que me levam a todos os locais onde algum dia já estivemos. Tudo me lembra de ti.

Vivo a cada dia para me recordar que sem ti não me conhecia; que mais valem mil quilómetros de distância do que um silêncio mudo e entorpecido.

Vivo e respiro contigo.

 

Imagem: Coração Independente Vermelho #1 by Joana de Vasconcelos @facebook.com/pages/Joana-Vasconcelos

Trabalhos em papel da minha princesa // My princess’ paper crafts

paper works

Dia da Mãe // Mothers’ Day

Today is “Dia da Mãe” (Mother’s Day) in Portugal. Six years have now gone by since I was mum for the first time. I clearly recall my mum’s words when my little girl was born: “Agora saberás o que é realmente ser mãe” (from now on you will really understand the feeling of being a mum”.

Last Friday my little girl arrived from school with a small bag with 2 presents. I was not supposed to see them, she said, and went to hide them. Yesterday morning I have been given the best gift a mum could have: a kiss and a “I love you”. Then the small bag: ” I could not wait until tomorrow mummy” she explained. It does not matter the day, all days are mother’s days!!!

 DSC01302  DSC01299 DSC01298

DSC01297