Dia da Mãe

Sou mãe! Mãe de duas meninas lindas, mãe a tempo inteiro, de alma e coração, sempre. Haverá algo melhor? Não. Eu julgo que não. Só assim tenho o privilégio de passar uma tarde de sofá com duas princesas a rir, entre abraços e aconchegos.

O Dia da Mãe são todos os dias. Às mães, de sangue ou de coração, às mulheres em geral, relembro aqui um texto que li o ano passado. A todas Nós.

AS MÃES, AS MULHERES, OS BEM-ME-QUERES

Não somos super-heróis, somos Pais.

Dez dias de internamento na pediatria, três dos quais na unidade de intensivos. Não foi fácil… Aliás, nunca é fácil ver um filho no hospital e saber que não podemos ficar no seu lugar. Podemos, todavia ,dar-lhes todo o nosso amor, carinho, colo e aconchego. Foi isso que fizemos.

No hospital, durante a minha estada de dia e noite, fui observando a cada dia as mães e pais que chegavam primeiramente às urgências e depois à ala de pediatria.Todos tinham a mesma expressão. A preocupação inverte-nos o rosto, vincando-nos os traços da testa. Enquanto as mães acompanhavam as suas crias aos gabinetes médicos, os pais, em geral, ficavam no exterior a matar tempo fumado um cigarro ou deambulando. Custa ter que esperar, custa deixar mulher e filho no hospital se assim tiver de ser.

As mães ficam onde o filho tiver que ficar, fazem o que for preciso para o ver bem. Tal como os pais, que se ausentam por instantes, pois a vida não pára e há trabalho para fazer, mas regressam com a sua força e apoio incondicionais.

E assim ia correndo o tempo. Pessoas entravam e saiam, um corre-corre de médicos e enfermeiros.

Chorei, ri, agradeci a todos os que nós cuidaram.

Felizmente tudo acabou bem.

Tudo o resto faz parte…

“Aproveita para dormir agora!..” – Tantas vezes ouvi esta frase proferida tão seriamente por conhecidos que mais parecia que mundo acabaria para quem não conseguisse dormir para além das 7h da manhã ou menos! Sim, é um lugar comum. Anunciamos que vamos ser pais e após o “parabéns” vem o tão famoso auguro.

Fui mãe pela segunda vez há 1 mês e meio. Divido os meus dias entre mudas de fralda, ajuda nos trabalhos de casa da mais velha, cozinhados e amamentação e não podia ser mais feliz. À noite (ou de dia) dorme-se o que se consegue. Cada hora mal dormida é amenizada pela doçura dos sorrisos das minhas filhas, pela energia da Mari quando chega da escola com mil e uma aventuras para contar, pelo o cheirinho da minha bebé, pelo som do respirar profundo quando dormem, pelo amor que me é dado. A cada dia existe algo de novo a aprender e a experienciar.

Pais e mães sabem que assim é: não existe no mundo maior tesouro que os seus filhotes.  Tudo o resto faz parte.